honorários-valor

Um guia rápido de como calcular quanto vale a hora de um advogado!

Por Rafael Docampo

“Quanto valem meus honorários advocatícios?” é uma das perguntas mais difíceis com a qual todo(a) advogado(a) se depara em algum momento da carreira. De fato, as tabelas de preços sugeridas pela OAB podem servir como um termômetro na hora de definir o preço justo dos honorários. Porém, os valores sugeridos nem sempre são condizentes com o grau de dificuldade do trabalho proposto, nem com o valor que o trabalho irá agregar para o cliente. Nessas horas, estimar um preço sem qualquer embasamento é a pior coisa que pode acontecer. Isso porque as chances de você precificar os honorários acima ou abaixo do que deveria são enormes e, em ambos os casos, esse erro pode tirar qualquer profissional do mercado.

Pensando nesse dilema, escreveremos uma série de artigos que ajudará você a preencher uma proposta de honorários de sucesso. Nessa primeira edição, falaremos um pouco sobre como calcular o preço de uma hora de trabalho.

Descubra seus custos fixos e variáveis

O primeiro passo para formar o preço dos seus serviços é colocar na ponta do lápis seus custos fixos e variáveis. Custos fixos são aqueles que se repetem todos os meses com certa estabilidade, como contas de água e aluguel. Por outro lado, custos variáveis são aqueles gastos pontuais e mais difíceis de estimar com antecedência. Por exemplo, a compra ou conserto de um computador.

Nessa etapa, quanto mais dados você tiver, mais próxima da realidade suas estimativas serão. Por isso, o ideal é buscar estimativas reais em um histórico de despesas. Mas como criar esse histórico? A resposta mais óbvia é tabelar todos os seus gastos em uma planilha de Excel. Essa, contudo, não é a resposta mais prática.

Anotar despesas é uma tarefa chata e que requer bastante disciplina. Então, quanto mais fácil for o acesso à “planilha”, melhor. Nesse ponto, o Excel deixa um pouco a desejar, porque a experiência da versão mobile não é das melhores. Então, se eu tivesse que lembrar de todas as minhas compras para anotá-las no meu computador apenas no fim do dia, duas coisas aconteceriam: (i) eu acabaria esquecendo muitos dos meus gastos e (ii) provavelmente acabaria tendo preguiça de anotá-los na maioria das vezes.

Controlando as horas de uma maneira inteligente

Por isso, para controlar meus gastos pessoais, por exemplo, eu uso um aplicativo gratuito chamado Mobills. Basicamente, é um sistema de controle financeiro, disponível para celulares, com uma usabilidade muito simples que permite que você alimente a plataforma com as suas despesas e faça a separação delas em categorias, as visualizando de forma organizada em listas ou gráficos depois. E tudo isso pode ser feito em segundos. Geralmente, eu aproveito os segundos que espero nas filas de lojas ou restaurantes para fazer essas anotações e ter o controle das minhas despesas acessível a todo momento pelo celular. Ainda requer certa disciplina, mas é bem mais fácil do que anotar tudo no Excel.

Uma vez que você tem um histórico real das despesas, é possível calcular uma média realista e estimada de custos. A partir dela, por sua vez, é possível ter uma ideia do mínimo que você precisa faturar para não fechar o mês no prejuízo. Esse primeiro passo é essencial para evitar a baixa precificação dos serviços advocatícios.

Descubra quanto vale sua hora de trabalho

Uma vez que os custos e despesas foram bem calculados, é preciso somar a eles sua expectativa salarial e, a seguir, dividir o valor total pelas horas produtivas de trabalho que você consegue alcançar durante um mês. Horas produtivas são as horas de trabalho em que você consegue desenvolver atividades realmente cobráveis dos clientes. Isso significa que atividades como reuniões, pesquisas, tempo de deslocamento entre um local e outro e conversas ao telefone não devem ser computadas aqui, caso não sejam cobráveis.

Conclusão: os passos para chegar ao valor ideal de cobrança por suas horas

Parabéns! Seguindo esses dois passos, está concluída a precificação da sua hora de trabalho! Qualquer jovem advogado (a) deve, portanto, considerar seus custos fixos e variáveis e valorar suas horas produtivas. Com essas duas estimativas, você não ganhará menos do que devia por seus serviços!

Só tenho uma última dica antes de passarmos ao tema da próxima semana. Como a maioria dos clientes vão tentar negociar algum tipo de desconto, é uma boa ideia calcular uma margem extra de lucro que pode ser negociada.

Calcular o quanto vale a sua hora de trabalho é um passo importantíssimo quando o assunto é a cobrança de honorários advocatícios, mas não pode ser o único. No próximo artigo, desvendaremos algumas estratégias de precificação com foco no perfil de cliente em questão. Fique atento às novidades do blog e às redes sociais do LEIXO!


Rafael Docampo

Desenvolvedor de conteúdo jurídico do Lexio. Possui experiência em consultoria jurídica nas áreas civil e empresarial, com ênfase em contratos, responsabilidade civil e direito societário.

Deixe uma resposta

×
×

Carrinho